24.6.13

OLHANDO PARA O MONTE CARA


 
Os ramos das palmeiras ao sabor da leve brisa
e os sons frescos encaminham-me para o mar
onde vejo um pensativo rosto de pedra.


Feliz escureço, o olhar à procura
da lua, esse vaso de luz
onde uma das luas se deita
e então eu sou, a sombra pousada

dessa luz alheada.


( Cabo Verde. Mindelo )

2 comentários:

Menina Marota disse...

Lindo.
E as palmeiras e o mar... acertei na imagem para o teu outro poema! E ainda não tinha lido este.
Gostei mesmo do poema.

JOSÉ ALBERTO MAR disse...

Olá:
Foi. Imagem e poema bem unidos. Bjs