9.5.17

~ DIVAGANÇÃO ~



a varanda é branca com o Sol estampado ainda por cima e depois há o azul-cobalto das águas do mar e ainda depois há frondosas árvores emaranhadas nos seus verdes a erguerem uma montanha até a um imenso céu, onde me esqueço 
&
só muito tempo depois
(felizmente) 
acabo por cair
em mim.
Aqui ao lado, as folhas das palmeiras continuam penteando a aragem que corre atrás de si e por vezes, alarga-se até à mesa e leva-me as folhas e as palavras, o que me importa?
Na rua as pessoas passeiam-se devagar no meio do tempo, saboreiam os encontros, pousam aqui & acolá, trocam poucas frases poucos gestos coisas simples como um sorriso na caminhada, já é Tanto!
1 pescador idoso de boné vermelho e corpo calado está esquecido ou estará a lembrar-se, a olharolhar o mar como se lesse um texto.
Há em tudo uma paz que parece impossível aproximando-se ao absorto sopro de um deus abandonado por aqui.


J. A. M.

Gaigu. Br.
(Brasil. Estado de Pernambuco - 2004.Alterado a Abril.2017. Alterado 14-4-17 )

Sem comentários: