11.5.11

SONETO PARA JOSÉ ALBERTO MAR (prenda do meu amigo: Mhario Lincoln.Br.)



Sente-se diante de tuas obras e vizualize-as.
São parecidas contigo.
Com tuas angustias e teu grito.
Tua sede. Teu gemido. O desenho nevoento.
Vede quanta semelhança: És tu!
Tua vida, teu universo. Tuas cores vivas.
Por vezes cintilantes, outras febris.
Olha aquele corpo esculpido em óleo.
Lembranças pueris. Ricas imagens de antanho.
Eis você aí. Suas telas e tu:
espelho da eternidade autocriativa. 

(Brasil- 18-04-2011)

Sem comentários: