8.4.11

Demorei-me a chegar




A noite redonda pela lua Cheia cai a luz caindo.
E então hoje perdi-me ainda mais no caminho para casa e já estava numa outra montanha sentado no descanso indeciso das cabras selvagens a olharem-me e assim fiquei divagado pela luz que circunda a lua quando, sem saber o como & o porquê, um jovem macaco pousou no meu ombro esquerdo, bem vigiado pela mãe a poucos metros e assim ficou vidrado pelas visões que eu colhia. 
(As crianças são sempre sabiamente abertas. )

Demorei-me a chegar a casa, na  montanha vizinha
fui até lá com o cajado dos sons do mar lá ao fundo  alumiarem-me sem eu dar por isso. Entrei pela janela, porque nada de chaves por esta noite, por amor a deus, acendi a outra luz e estanquei na porta do sono, escutando os galos & as galinhas e uma mosca patarata que teimou em zunir perto de mim até que



 (Texto inicial: Cabo Verde.Agosto.2008)

Sem comentários: