14.9.11

bocas ao deus-dará



(...) Com as energias mais violentas que nos tempos que correm  circulam pelos ares do Planeta, a-ver-vamos se as  portas de dentro se vão abrindo aos poucos, como nos ritmos da Natureza.



Distanciados de tudo o que é Vida, e do que possam ser ( embora já o sejam, sem nunca darem portal ! ), nada se vislumbra nos afazeres dos seus dias & das suas noites =  que vão atravessando, alisando ausências  sobre os joelhos das suas almas desalmadas, desarmadas, descentradas, que - até -  têm 1-não-sei-quê,  de muito doloroso....mas, en   fim


eles, continuam-se por ali :  aos círculos, deambulando entre as  sombras anémicas que também alimentam, expandem & são cúmplices


Nadia se toka, nada os troka, nada os akorda, etecteras







(texto de j.a.m. - Algures. s/ data)




Sem comentários: