1.9.11

Msg a Garcia: " blowin in the New wind "

















           ~  foto. j.a.m. ( c/ ajuda de Maaluk, my new girlfriend.  ~


(...) God only knows. I go with them, the Zambezi River, the boat, the gods & everything else that I know nothing ...

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
 


Fugi, a 7 pés - mais uma vez  - das europas e dos Ocidentes, desses Impérios podres,  já  a desmoronarem - se em queda dos mercados livres, só podridão por dentro & por fora, mortos  deambulam pelos dias & pelas noites,  bons clientes de psiquiatras & empresas farmacêuticas  e hoje há saldos  cúmplices da coisa, a vidinha & o deusDinheiro, escravos esclarecidos, semi-esclarecidos, ou assim-assim arrastando-se,aguentando o(s) fardo(s), as cruzes , 1 dia é que vai ser !.. os "egos" avolumam-se em ganancias dos sempre-os-mesmos e as ignorâncias-dos-sempre-os mesmos sempreternamente não será.

Quando acordais?

o   barco embala-me e vai indo, doucement
Para onde?
voo com eles ,  o rio Zambeze, o barco, as águas levemente sonoras, & os deuses,,, e tudo o mais , o que sei eu?

Mas sei, que aLgo já anda no ar  :"blowin in the New wind " ~ ~ ~



( Africa. Ag.2011)

1 comentário:

Anónimo disse...

(E um músico compôs: «Vamos celebrar» …)


Há um rio sublime. Onde uma «casquinha de noz» desliza.
Um verdadeiro rio. Onde tudo é belo e tranquilo.

Há um céu soberbo. Onde o crepúsculo laranja naufraga.
Casado com o rio. Onde uma «casquinha de noz» desliza.
E todo o sonho é belo e tranquilo.

Há um lugar verdadeiro. Onde o ar é doce de respirar.
Onde a felicidade ardente convive com o silêncio.
E a barafunda da vida, excluída.

«Gosto. Gosto. Gosto: Vamos celebrar.»


(Eugénia)