11.9.11

A CERCA DA BELEZA















Foto construída. j.a.m.


John Cage, foi ele acho, que contou isto algures:

- Havia uma mulher tão bela, tão bela, sei lá aonde.
Uma vez, decidiu atirar-se a um lago cheio de peixes vários, coloridos, divertidos, lindos mesmo, & espantemo-nos:
aquando do acto, os bichos logo fugiram, assustados.

- Mas, afinal o que é a Beleza?

1 comentário:

Anónimo disse...

Acerca da Beleza (notas pessoais):

A Beleza? Qualidade intrínseca das coisas? Apreciação valorativa?

As Coisas Belas? Encerram, com certeza, um valor estético, implicando-se em sentimentos apreciáveis no ser humano o que leva este a considerá-las como belas.

Por tal razão, tenderia a defender a ideia de que as coisas belas configuram-se, por si mesmas, como uma narrativa – uma voz criativa e criadora … Criadora porque dá azo à criação de outras narrativas. Emotivas? Certamente, por parte de quem as lê/ ouve …

…………………

Tentarei ilustrar com este “pedacinho de papel”, branco sujo pontilhado de folhinhas:

Verdes, tons verdes vários. Azuis, tons azuis vários. Pinceladas de um autor envolvido na sua obra, leves e levemente penduradas em ramos exíguos com cor risonha.

Cada folhinha, no lugar certo: em simultâneo, uma gradação e uma variação de cor, resultando numa composição de ímpar leveza: sensível e harmoniosa …

E, talvez por isso mesmo, sejam, neste caso, a harmonia e a suavidade o conteúdo que mais nos prende o olhar (através do coração).

…………………

As coisas belas implicam-se em nós? (Transformam-nos?). Certamente:

Olhei. Fiquei presa pelos olhos. E fluiu, por sobre mim, de imediato, uma revoada de diferentes harmonias, procurando eu, ávida, agarrá-las:

Tonalidades das sinfonias (Beethoven?) …
Rufar de suave seda (Saia rodada de amadurecida bailarina juvenil?) ...
Sussurro das abelhas, por entre folhagem doce, à procura da sua flor …

Tudo: sensação de leveza!

(Eugénia)