2.10.11

Um Pintor Esquisito.


O homem havia pintado + um quadro.

No dia da apresentão ao público acudiram N pessoas para o ver compareceram aos sr.s das autoridades locais, parentes, amigos, colecionadores de artes,  jornalistas, fotógrafos e akele pessoal que está sempre por lá nestas koisas, pois o pintor era já q.b. famoso & considerado e em certa medida, um artista a ter em contação.
Chegado o momento, o pano que cobria o quadro  caíu. No ar solene do local  explodiram calorosos aplausos tão calorosos que a Obra quase se derretia. Tratava-se de uma impressionantista figura de Jesus batendo suavemente à porta de uma casa qualquer. Era um  Cristo que  estava ali vivo outra vez com o ouvido junto à porta, ele parecia querer saber se lá dentro alguém havia, alguém aparecia, alguém respirava, alguém estaria vivo.
Depois sucederam-se os discursos pomposos de apraxe & os elogios patéticos comuns. Sempre looongos, fastidiosos e  nos finais, todos batiam, a seu modo,  as suas próprias mãos, uma contra a outra.

e, todos olhavam para aquela obra : de arte.

Porém, 1 observador curioso quiçá + atrevido, em função das circunstãncias vigentes, descobriu - por si próprio -  uma falha no quadro: a porta não tinha fechadura ?
E foi perguntar ao sr. artista :  a porta não tem fechadura ! Como se fará para abri-la ?

- é assim mesmo - respondeu o  pintor - esta é a porta do coração humano, que só se abre do lado de dentro.


 - de autor desconhecido - 



( Publicada : EU.CÁ.VOO.CAMINHANDO ,  17 - Set - 2007 )

Sem comentários: